segunda-feira, 24 de junho de 2013

Os Doze Trabalhos da Mônica


"Os doze trabalhos da Mônica" foi uma publicação especial lançada pela Editora Globo em 1991. Foi a primeira edição desse formato até então. Nessa postagem, mostro todos os detalhes dessa revista e conto como foi a história dela.

Essa edição tem formato 16 X 23 cm, ou seja, maior que os gibis convencionais, porém o tipo de papel da capa e do miolo são iguais aos dos gibis convencionais. Tem 52 páginas no total, com 8 páginas destinadas à apresentação e curiosidades e o resto é uma história inédita parodiando "Os doze trabalhos de Hércules" e uma tirinha final sobre o tema. E não tem propagandas no miolo.

"Os doze trabalhos da Mônica" começa com uma página de editorial, mostrando uma apresentação da edição. A seguir começa a seção de curiosidades, com textos desenvolvidos por Sidney Gusman, contando a história da Mitologia Grega como um todo, incluindo informações sobre os deuses do Olimpo e caricatura de cada um deles. Com isso, conhecemos um pouco sobre a história dos 12 principais deuses e de seus parentescos: Zeus (senhor supremo do Monte Olimpo), Hera (deusa protetora das mulheres e dos partos), Poseidon (Deus dos mares), Deméter (deusa da agricultura), Héstia (deusa dos lares), Hefesto (deus das forjas), Hermes (mensageiro dos deuses), Apolo (deus do Sol), Artémis (deusa protetora das crianças), Atena (deusa da sabedoria), Ares (deus da guerra) e Afrodite (deusa do amor). 

Uma das páginas contando a história dos deuses da Mitologia Grega
As ilustrações com as caricaturas muito bem elaboradas, por sinal, uma arte muito boa. Depois é mostrado um texto contando a história de Hércules, o filho de Zeus, e como foram na verdade os doze trabalhos de Hércules. E cada um dos trabalhos representados com belas imagens dos personagens que fizeram parte da história parodiada na edição. E ainda é mostrado a seção "os deuses vão Roma" onde é mostrado que os deuses da Grécia tiveram seus nomes trocados em Roma e mostra um comparativo de nomes. Assim, vimos que Zeus se chamava Júpiter em Roma, Hera, se passou a chamar Juno, Hermes, era Mercúrio, e assim por diante. E fecha com a ficha-técnica da revista, algo raro nos gibis da MSP.

Uma das páginas contando sobre os verdadeiros trabalhos de Hércules
Após as curiosidades, vem a história inédita "Os doze trabalhos da Mônica". Ela tem 39 páginas no total, dividida em 3 partes, com a participação da turma toda. Mônica e Cebolinha contracenam com vários núcleos de personagens. Tanto o roteiro quanto os desenhos são sensacionais. Traços perfeitos e com uma arte rica de detalhes, até as placas colocavam com letras gregas.  

Passada na Grécia Antiga, a história começa apresentando o Hércules, falando que ele era filho de Zeus com a mortal Alcmea. Quando Zeus se casou com a deusa Hera, ela, muito ciumenta por Hércules ser filho de uma paixão antiga do Zeus, o manda que realizasse doze trabalhos dificílimos. Hércules consegue realizá-los, deixando Hera cheia de ódio.


Então, ele se casa e tem uma filha Mônica que herda sua força. Quando Cebolinha a xinga, ela arremessa tão forte o Sansão que acerta a cabeça da Hera já dentro do castelo de Zeus. Com raiva, Hera manda que ela cumpra doze trabalhos, os mesmos que o Hércules realizou. Até como uma forma de se vingar dele. Com a ajuda do Cebolinha, Mônica começa a realizar os trabalhos, só que cumpridos de uma forma bem diferentes que Hércules realizou. Os trabalhos a serem cumpridos foram esses na ordem:

  1. Dominar um leão invencível e furioso que estava assustando a região de Nemeia. A solução encontrada foi tirar o espinho do pé do leão que o incomodava e sempre que ele se aproximava para pedir ajuda, todos corriam. O leão era o Rei Leonino.
  2. Vencer a Hidra de Lerna, um monstro de sete cabeças. Tinham que descobrir qual das cabeças é a vital. A solução foi a Mônica acertar uma pedra gigantesca em cima da hidra, matando por completo.
  3. Vencer um elefante que está arrasando a aldeia de Arimanto. A solução foi o povo alimentá-lo uma vez ao dia, já que ele precisava sair pra buscar àgua e alimentos. O elefante era o Jotalhão.
  4. Pegar uma corça de patas de bronze superveloz e arisca. A solução foi o Cebolinha arrumar uma super-rede pra apanhá-la desprevenida.
  5. Espantar aves na aldeia de Estínfalo que faziam barulho ensurdecedor quando cantavam. A solução foi a Mônica chorar mais alto que elas e acabaram indo embora. O povo de Estínfalo foram interpretados pela turma do Piteco.
  6. Limpar o estábulo com quinhentos mil porcos do rei Cascão de Áuguias. A solução foi cavar um canal do rio até o estrábulo, lavando todos os porcos de uma só vez. 
  7. Enfrentar um touro feroz na ilha de Creta. Sem querer, descobrem que eram o Franjinha e o Titi que se disfarçavam de touro pra assustar o povo da região, solucionando o caso.
  8. Enfrentar as éguas de Diágenes que comiam gente. Cebolinha foge da missão com medo e é capturado. Mônica encontra o rei que a leva até as éguas e encontra o Cebolinha preso e elas recusando a comê-lo por não gostarem de cebola. A solução foi a Mônica oferecer alfafa a elas, que gostaram. O rei de Diógenes era a Dona Morte.
  9. Conseguir o cinturão de Hipólita, a rainha das amazonas. A solução foi trocar o cinto dela pelo da Mônica. A Hipólita era a Tina.
  10. Tirar os bois do Gerião, um gigante de três cabeças, devolvendo ao pastor Chico Bento. Mônica aceita o desafiar numa luta e ganha ao falar que é simpático, principalmente a cabeça do meio. Ao virarem a cabeça, vai a nocaute. E Mônica passa a ser a nova dona da região, que passa o poder ao Chico Bento.
  11. Pegar uma maçã de ouro do jardim das Hespérides, onde tinha Magali como guardiã. A solução foi falar que tinha várias frutas mais gostosas no jardim para ela tomar conta. Ela fica desesperada e sai correndo para devorar as frutas, enquanto eles conseguem pegar a maçã.
  12. Descer ao inferno pra pegar Cérbero, o cão de duas cabeças. Sendo que o rei Hades Feio não permite. Para esse trabalho, ela tem uma ajuda de Zeus e seu mensageiro Hermes, que levou o Sansão até lá na hora que eles estavam presos a chamas. Mônica pega o coelho e taca no rei, anulando o poder dele e das chamas. Eles pegam o Cérbero, que era o Floquinho, e cumprem, com isso, os doze trabalhos.

No final, Hércules fica orgulhoso da filha e Hera considera cumpridas as tarefas. Só que Mônica descuidada acaba dando outra coelhada na cabeça de Hera e o Cebolinha corre com a Mônica antes dela acordar, dizendo: "Lápido, Mônica! Senão lá vem mais doze!"


Como pode ver, tudo foi adaptado ao universo da Turma da Mônica de uma forma muito criativa. Logicamente a história de Hércules não era assim, era muito violenta por sinal. Para se ter uma ideia, na verdade, Hércules teve que cumprir as 12 tarefas para seguir com a alma em paz por ter matado a família inteira por causa de um feitiço da Hera. E na história dessa revista especial, foi tudo tratado de forma leve e com muito humor.


Essa história já foi republicada duas vezes. A primeira vez foi em "Gibizão da Turma da Mônica nº 3" (Ed. Globo, 1996), sendo que nessa edição não foram republicadas as curiosidades, apenas a história. A outra foi em "Maurício Apresenta nº 1" (Ed. Panini, 2008), onde aí sim eles republicaram também as curiosidades que saíram na revista original, com a diferença que as colocaram depois das histórias e reestruturadas tamanhos pra caber em 4 páginas, enquanto que na revista de 1991 essas curiosidades antecediam a história e tinha 8 páginas no total, como falei anteriormente. Ambas republicações com capas diferentes da original. Eu só tenho a original de 1991 que acho a melhor de todas, inclusive a capa. Material original sempre é melhor, com as cores originais, fora que ainda acho que é a melhor capa, mesmo sendo mais simples. Afinal, o simples continua ser o melhor. 

Capas de "Gibizão Turma da Mônica" nº 3 (1996) e "Maurício Apresenta" nº 1 (2008)

Sem dúvida "Os doze trabalhos da Mônica" foi uma edição espetacular, não só pela história fantástica e de alto nível, mas também pela oportunidade dos leitores conhecerem as curiosidades da Mitologia grega. Com certeza um grande marco da MSP, que sempre vale a pena ser relembrada. Dá pra ler, tanto a história  completa, quanto as curiosidades da Mitologia Grega no site oficial da Turma da Mônica. Termino a postagem com uma propaganda anunciando esse gibi que saía nos gibis de 1991:

Propaganda tirada de Magali nº 56 (Ed. Globo, 1991)

25 comentários:

  1. Assim que comecei a ler esta postagem, recordei de Lou Ferrigno e como os filmes dele foram importantes na minha infância. A cena do estábulo, em Hércules, nunca saiu de minha cabeça. A do mega chiqueiro do Cascão deve ser muito boa!

    Eu conheço esse gibi apenas pelo nome. Nunca li. Gostei da postagem e das imagens.

    Dos trabalhos de Mônica, gostei, sobretudo, do Floquinho como Cérbero. Sobre a ida ao inferno... que bom que, naquela época, o MSP não tinha frescuras com isso.

    Ainda comprarei esse edição num sebo. Gostei muito da postagem extensa, em especial descrevendo cada um dos trabalho.

    Essa história ficaria muito boa em um Clássicos do Cinema!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kleiton, ficou meio extensa pq além de falar da revista contei a hq dela. Realmente é uma ótima hq, vale a pena adquirir em sebo, sobretudo a original.

      É verdade q a MSP nao tinha frescuras de inferno naquela época, por isso q as hqs eram melhores.

      Não sei se sairá em Clássicos do Cinema, já q foi republicada recentemente em 2008, mas quem sabe daqui um tempo né? Pelo menos dá pra ler na internet.

      Abraços

      Excluir
    2. Marcos,

      tenho um problema para ler em tela. Não consigo.

      Sobre a extensão da postagem, ficou ótima. Completíssima. Gostei dos detalhes da obra. Pouca gente lê grandes postagens. Mas sempre terá aqueles que leem e, para quem, elas são úteis.

      Excluir
    3. Ah sim quem gosta mesmo, ler a matéria toda. E tem as imagens pra diminuir o impacto visual. Legal q gostou. Abraços

      Excluir
  2. "Afinal, o simples continua ser o melhor".
    Muitas vezes isso faz toda a diferença. Quando se tem uma boa história para contar, não precisa enrolação, também não precisa de capa de luxo, etc...
    Esta revista é mesmo muito boa, e o legal é que vc mostrou e falou o detalhes da edição original, de estréia, que eu não conhecia.

    Tenho a Mauricio Apresenta nº 1, e gosto muito dela. Adoro história, e também a Mitologia Grega. Gosto quando o gibi tem este "fundo" histórico/mitológico, mesmo que não seja 100% fiel aos livros, pois tem que ser adaptados à turminha, o que resulta geralmente em hqs engraçadas.

    Concordo também que poderia ter saído em Clássicos do Cinema com a Turma da Mônica, que é outra super coleção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, só tenho a original. Essas paródias costuma ser muito boas, vê a Clássicos do Cinema q costumam ser boas a maioria das vezes. Q bom q gostou da postagem.

      Abraços

      Excluir
  3. É o tipo de historinhas que eu adoro... além de divertido ainda incita as crianças (e até nós mesmos) a procurar saber mais sobre mitologia. Não conhecia a revista, achei demais (e quero!!!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Nanda, estimula sim a conhecer e ir mais a fundo a aprender sobre a mitologia. Ou seja, estimula a leitura. Coisa q nao existe mais.

      Pensava q vc conhecia a revista. Tomara q vc consiga em algum sebo, ou senão no Mercado Livre tem vendendo várias. Aí é só ver preço e estado.

      Excluir
  4. Eu nunca havia visto nada dessa revista, nem em sebo eu vi. Lembro das propagandas dela nas revistas da época mas devia ser um pouco mais cara e por isso não tenha me interessado.
    E eu sempre procuro nesses casos ir atrás da edição original, pra mim ir atrás de uma reedição ou relançamento não é a mesma coisa, principalmente se a edição remete à minha infância. Eu por exemplo compraria a edição de 1991 e não o gibizão, por ex.
    Ah, e não se importe com as postagens grandes, eu pelo menos adoro matérias com bastante detalhes e não tenho preguiça de ler.

    Abçs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. llpsdll, essa revista não era muito cara, lançada em agosto/91 custava Cr$ 400,00. Comparando com Mônica nº 56 daquele mes custou Cr$ 310,00. E Mônica nº 57 de setembro/91 custou Cr$ 370,00. É um preço semelhante a Clássicos do Cinema hj.

      Talvez teve tiragem limitada ou não ficou muito visível nas bancas ou foi muito vendida aí vc não viu.

      Eu tbm prefiro comprar as edições originais, dar um mais nostálgico. Só as hqs da Editora Abril por causa do preço q tenho mesmo as reedições dos almanaques da Globo.

      Abraços

      Excluir
  5. Muito boa a HQ/traços/roteiro....lembro que li pela primeira vez na "Gibizão Turma da Mônica" nº 3 quando saiu...li de um amigo que comprou e tomei emprestado,rs....agora tenho a HQ graças a era panini com "Maurício Apresenta" nº 1..por falar nisso esse gibi parou de sair mesmo né? :p

    Até, Xandro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho notícias sobre "Maurício Apresenta". Pode ser q volte a qualquer momento, quando bem entenderem.

      Excluir
  6. Eu tenho o gibizão com essa história que é mesmo muito boa. Sempre gostei de mitologia... Dos gibis grandões tenho apenas esse e mais um que é uma releitura da história do Peter Pan. Lembro que não comprava esses gibis grandes pq achava mto desajeitados kkkkkkkk. bjim, Marcos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É interessante que na minha coleção eu não tenho nenhum "Gibizão". Muitos eram republicações, mas nem mesmo os inéditos não tenho. Achava muito grandes tbm e ficava ruim de guardar. Bjs

      Excluir
  7. Nossa, q legal, lembrei que eu tive essa edição de 1991.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma edição muito divertida, vale a pena ter na coleção. Abraços

      Excluir
  8. Sou apaixonada por Mitologia Grega, mas esse gibi não conhecia !!! Adorei, vou ver se consigo comprar assim que possível !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristiane, é muito bom esse gibi. Tomara q vc consiga a original, mas tem tbm as republicações aí como opções.

      Excluir
  9. Ganhei de um colecionador de HQs americanas a segunda edição quando tinha 7 anos, amava, levava comigo pra onde ia, mas infelizmente não sei que fim que teve :(
    Uma pena pois adoraria repassar à minha filha que adora HQs da turma da monica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma edição excelente. Pena q vc perdeu. Dava pra ler no site antigo, agora no novo nao colocaram. Tomara q vc consiga encontrar algum dia.

      Excluir
  10. Legal, hein, Marcos? Ao ver essa postagem, acabei lembrando que li Os Doze Trabalhos da Mônica no site antigo da Mônica. Acho que comecei a ler essa história lá pra 2004, se não me engano.

    E eu já sabia que foi republicada no Gibizão em 1996, já em Maurício Apresenta eu não sabia.

    Mas quem me dera eu ter esse gibi pra ler a história e também saber muita coisa da Mitologia Grega. Inclusive, eu queria tanto procurar essa versão original de 1991. Então, me deseja sorte na busca desse gibi.

    Mas além dessa história, acabei lembrando de outra história que eu adorava, que era Mônica e os Bárbaros, de MN # 197, de 1986, em que a Mônica acaba viajando no tempo dos bárbaros e vai vivendo muitas aventuras. No final, a Mônica da época dos bárbaros acaba sendo levada para 1986, e para tristeza de Cebolinha e Franjinha, eles acabam se dando mal.

    Sem dúvida alguma, é uma ótima história que merece ser chamada de clássica. Os traços são ótimo, o roteiro é excelente, e o enredo então? É muito bem feito!

    Mas essa história dos bárbaros não foi só republicada no Gibizão. Eu vi no Guia dos Quadrinhos que ela já foi republicada antes, no Um Tema Só # 1 - Mônica Superaventuras, de 1992, além de outras histórias que eu conhecia e que eu não conhecia, mesmo eu não tendo essa edição, como Titica A Cadelinha (CB # 9, 1987), O Terrível Titio Capitão Feio (MN # 113, 1979), Jeremim, O Príncipe Que Veio da África (MN # 5, 1987), A Prometida (MN # 10, 1987), Primeiro Os Pássaros, Agora... As Borboletas (MN # 117, 1980), Freud X Giselda (republicada no Almanaque do Chico Bento # 4, 1984) e O Pé Grande (MN # 9, 1987). Mas eu não tenho certeza se foi mesmo republicada antes, já que não tenho essa edição. Se você tiver essa primeira edição de Um Tema Só, de 1992, sabe se a HQ Mônica e os Bárbaros foi republicada antes do Gibizão?

    Nesse mesmo Gibizão, também foi republicada a HQ Cada Um na Sua, de Cascão # 54, de 1984. Nessa história, há muito tempo, existia um garoto (Cascão) que era diferente do povo. Era diferente, porque enquanto todos tomam banhos aos Sábados, ele nunca toma banho, claro! Aí o prefeito manda prender ele e seu amigo (Cebolinha), só porque o amigo disse que toma banho todo dia, e dizem que tomar banho todo dia, não só no Sábado, não pode. E no final, eles fogem da cadeia e o narrador diz que todo mundo aí viveu cada um na sua.

    Pra ser sincero, a história em si não é tão ruim assim, pelo contrário, é divertida e gosto muito. O que eu não sei é se ela foi republicada antes, como Mônica e os Bárbaros, mas acho que a primeira vez que ela foi republicada nesse gibizão mesmo.

    Então é isso, eu espero que você me diga se os enredos das histórias que eu disse tão certas ou não e se você conhece todas as histórias que eu citei, principalmente as de Um Tema Só # 1. E claro, um dia você fale dessas histórias, blz? Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Mônica e os bárbaros" só havia sido republicada no "Um Tema Só Nº 1" antes desse Gibizão. Já "Cada um na sua" do cascão, não havia sido republicada antes desse Gibizão.

      Os enredos são esses e tomara q vc encontre essas revistas. Abraços

      Excluir
  11. Fizeram a mesma coisa com o zé carioca, da disney. (Nomeado como Os Trabalhos de Zércules) (sei que não tem nada a ver com tm, mas resolvi falar aqui)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles gostam de criar a sua própria versão para contos famosos.

      Excluir